O senador Jaques Wagner (PT) afirmou  em entrevista ao programa “Isso é Bahia”, na rádio A Tarde 103,9 FM, que o partido tem “preguiça de formar novos quadros.

“Eu acho que esse é o problema que temos hoje no partido. A carência de formação de novos quadros. Estou fazendo essa luta, essa campanha interna no partido. Citei a ideia de renovação. Éden, que tem 38 anos, se lançou [candidato a presidente do PT na Bahia], acho fantástico isso. Outro jovem de 45 anos, Ademário ganhou o diretório municipal, e eu tenho dito que não é minha pretensão ser candidato em 2022, mas disse que se for bem da unidade do grupo, posso colocar meu nome à disposição”, disse, durante entrevista ao programa “Isso é Bahia”, na rádio A Tarde 103,9 FM, com Fernando Duarte e Jefferson Beltrão, na manhã desta segunda-feira (2).

 

Segundo Wagner, ainda há expectativa de poder renovar para 2022. “Ainda aposto que é possível formar. Rui está com aprovação muito boa. Alguém com esse tipo de aprovação tem potencial para fazer o sucessor. Em 2014, quando fiz a sucessão, Rui não era nome conhecido. Coloquei meu nome à disposição para garantir, porque sei que meu nome é uma espécie de fundador, ancião. Mas não acho que é melhor caminho. Pode ser mais fácil. Se a gente ficar nisso, a gente vai ficar dependendo de único nome. Isso é ruim”, enfatizou.