Após uma pesquisa mostrar que quase metade dos candidatos ao Exame Nacional do Ensino Médio (Enem) não possuem computador em casa, outro levantamento reforça como o recurso pode ser fundamental para o sucesso do estudante na prova: alunos sem conexão de internet em casa registram notas piores, numa diferença média de 52 pontos.

Esse número é baseado em dados da prova aplicada em 2018, últimos disponíveis e fornecidos pelo Instituto Nacional de Estudos e Pesquisas Educacionais Anísio Teixeira (Inep). Eles foram analisados pelo portal, que informa que a média da pontuação dos alunos sem internet é menor do que a dos concorrentes que possuem conexão em casa. Isso em todas as cinco provas do Enem.

De acordo com a publicação, a maior diferença está na Redação: 88,12 pontos. Na sequência, aparece a prova de Matemática, com disparidade de 54,53 pontos, seguida de Linguagens e Códigos (42,48), Ciências Humanas (40,04) e Ciências da Natureza (37,53).

A discussão sobre as desigualdades sociais no exame cresceram neste ano por conta da pandemia do novo coronavírus. Diversas escolas públicas do país suspenderam as aulas desde março e outras tentam manter um regime de aulas virtuais, dificultado pela falta de acesso de milhares de alunos.

Inicialmente, o governo federal resistiu a adiar as provas, mas após pressão social e do Congresso, cedeu e adiou a aplicação por até 60 dias.