O Governo do Estado entregou mais uma obra de contenção de encostas em Salvador, na manhã desta segunda-feira (9). Desta vez, foram beneficiados os moradores da Rua Alto do Pará, no bairro Alto do Peru, que agora estão livres dos riscos de deslizamento de terra e desabamento de imóveis. O investimento de R$ 4,6 milhões foi realizado por meio da Companhia de Desenvolvimento Urbano do Estado da Bahia (Conder), órgão vinculado à Secretaria de Desenvolvimento Urbano (Sedur).

De acordo com o governador Rui Costa, outro trecho da encosta receberá obras de contenção, com um investimento de R$ 10 milhões. “Autorizamos mais recursos para a intervenção que vai ligar o trecho entregue hoje até a ladeira do Largo do Tanque. Com isso, concluímos a proteção de toda essa área onde casas estão em vulnerabilidade e correm risco de desmoronamento. É um investimento grande que segue de forma continuada até que tenhamos todos esses pontos de risco protegidos e livres de desastres”, destacou.

Nos 120 metros de extensão da encosta, os técnicos realizaram um minucioso estudo do solo e da topografia do local. A tecnologia é o diferencial que a Conder vem colocando em prática na Bahia, desde que teve início o Programa Estadual de Prevenção de Desastres Naturais.

Segundo o diretor da Conder, Maurício Mathias, “é um trabalho minucioso e criterioso, que exige técnica e muitos cuidados. Após o início do programa de prevenção do Governo do Estado, o número de deslizamentos diminuiu consideravelmente”.

Obras seguem por toda a Bahia

Nos últimos 16 meses, foram concluídos os serviços em 27 pontos de risco alto e muito alto na capital baiana. No total, já foram construídas 90 contenções pela Conder, sendo 87 em Salvador e três em Candeias. Um investimento total de R$ 171,7 milhões.

Na Bahia, são 127 áreas de risco alto e muito alto contempladas com obras de estabilização de encostas, com cerca de R$ 248 milhões em recursos já garantidos. Além de Salvador e Candeias, estão com obras em andamento ou a iniciar os municípios de Cachoeira, Itamari, Teolândia, Mutuípe e Ubaíra. Os projetos já foram autorizados e serão incluídos na lista das áreas a serem beneficiadas.